EMANUEL SALVADOR

violino

L. V. Beethoven (1770-1827)

 

Sonata para violino e piano n. 5, em fá maior, op. 24 (1800-1801)

Allegro con brio

Adagio cantabile

Scherzo. Allegro - Trio

Finale. Allegro

 

 

K. Szymanowski (1882-1937) 

 

Mythes, Op.30 (1921)

La Fontaine d'Aréthuse

Narcisse

Dryades et Pan

 

 

M. C. Guarnieri (1907-1993) 

 

Sonata n. 4 para violino e piano (1956)

Allegro

Adagio

Un poco presto e con sentimento

Presto agitato

12H30  l  quarta-feira  l  12 de Agosto

Emanuel Salvador SIM USP Agosto 1.jpg

Nascido em Guimarães em 1981, EMANUEL SALVADOR conta com importantes apresentações como solista e recitalista em conceituadas salas de concerto na Inglaterra, EUA, Cazaquistão, México, Polônia, Turquia, Rússia, Ucrânia, Holanda, Portugal, Alemanha, Espanha, Itália e Malta. Fez várias tournées como solista, nomeadamente na China e Japão, Sudeste Asiático e Estados Unidos.

 

Depois de terminar seus estudos em Portugal, seguiu para Londres onde obteve o Bacharelado na Guildhall School, na classe de John Glickman, e o Mestrado no Royal College, com Felix Andrievsky. Outros professores relevantes em sua formação foram, Ulf Hoelscher, Alberto Lysy, Vadim Brodsky, David Takeno, Ilya Grubert e, na área da música de câmara, David Dolan e membros dos trios Beaux Arts, Florestan, Peabody e dos quartetos Takacs e Borodin. Foi bolsista da Fundação Calouste Gulbenkian de 2000 a 2003 e do Instituto Camões entre 2008 e 2009.

 

Como solista tem-se apresentado com Orquestras em Portugal, Brasil, Polônia, Rússia, México, Holanda, Itália, Turquia, Bulgária e Inglaterra. Apresentou-se em festivais em Portugal, Inglaterra, Malta, Alemanha e México.

 

Membro fundador do Trio Vianna da Motta, é primeiro violino do Quarteto Baltic Neopolis e do Quarteto de Cordas de Guimarães. Foi concertino da Orquestra do Norte de 2005 a 2014 e desde 2015 é concertino da Baltic Neopolis Orchestra. Como concertino convidado tocou com as Orquestras Nacional de Espanha, Seoul Classical Players, Filarmônicas de Szczecin e Czestochowa (Polônia) e Royal Opera House, de Londres.

 

Toca num violino G. B. Ceruti de 1802.

RONALDO ROLIM

piano

Um dos principais nomes da nova geração de pianistas brasileiros, RONALDO ROLIM vem sendo aclamado pela crítica especializada por uma “especial capacidade de comover através de suas interpretações.” Com uma carreira que engloba performances em mais de vinte países em quatro continentes, tem se apresentado em importantes salas como Carnegie Hall (Nova York), Tonhalle (Zurique), Wigmore Hall (Londres), Grande Sala da Academia Franz Liszt (Budapeste) e National Centre for the Performing Arts (Pequim), além de ser frequentemente convidado para renomados festivais de música. Em 2019, lançou o CD Szymanowski - The War Triptychs, pelo selo Odradek Records, no qual se debruça sobre as obras programáticas desse compositor polonês escritas durante a I Guerra Mundial, tópico esse discutido extensivamente em sua tese de doutorado, defendida em 2016 na Yale University.

 

Como solista, apresentou-se frente a diversas orquestras, como a Tonhalle de Zürich, Royal Liverpool, Sinfônica da Capela de São Petersburgo, de Phoenix, Brasileira, da USP, Filarmônica de Louisiana, de Lviv, de Minas Gerais, de Goiás, European Philharmonic Orchestra da Suíça, Concerto Budapest, Musikkollegium Winterthur, Orquestra Juvenil da Bahia. Como camerista, colabora frequentemente com diversos instrumentistas, além de ser membro do Trio Appassionata, que acabou de realizar extensa turnê pela China e lançamento de CD pelo selo Odradek Records.

 

Nascido em 1986 em Votorantim, São Paulo, Ronaldo iniciou seus estudos musicais com sua mãe, Miriam Correa. Em 1998, foi admitido como bolsista da Fundação Magda Tagliaferro em São Paulo, onde foi aluno de Zilda Cândida dos Santos e Armando Fava Filho. Ao vencer, aos dezoito anos, os Concursos Nelson Freire e Magda Tagliaferro, transferiu-se para os EUA, onde reside até hoje. Nesse meio tempo, estudou com Flavio Varani na Oakland University (Michigan), Benjamin Pasternack no Peabody Conservatory (Baltimore) e Boris Berman na Yale School of Music (New Haven). Paralelamente, obteve diversas premiações em concursos internacionais, com destaque para o prestigiado Géza Anda, em Zurique, além dos concursos Teresa Carreño, Bösendorfer, Lyon, San Marino e James Mottram